Entrelinhas






























A pesca milagrosa
Então escrever é o modo de quem tem a palavra como isca: a palavra pescando o que não é palavra. Quando essa não palavra morde a isca, alguma coisa se escreveu. Uma vez que se pescou a entrelinha, podia-se com alívio jogar a palavra fora. Mas aí cessa a analogia: a não palavra, ao morder a isca, incorporou-a. O que salva então é ler “distraidamente”. - Clarice Lispector


Refletindo sobre os três últimos anos de minha produção artística, percebo que entre o processo de trabalho e as obras há algo a mais, além do aparente finito objeto-tela. Investigações paralelas a materiais e técnicas, dirigiram meu interesse a permear entre o pensar e o fazer.
Foi neste caminho que minha atenção parou nas entrelinhas. Um lugar elástico, como um intervalo, para flutuar entre regras. Justifica a vontade de trabalhar sem fronteiras, sem projeto ou fim especifico.
Permitir este tipo de estrutura é desdobrar o meio de campo, ampliar o espaço de investigação. É onde encontro a possibilidade do ir e vir neste entremeio que as coisas acontecem.
É tempo onde passo a alterar a ordem, decompor e construir, focar e desviar. Sobrepor camadas de gestos, cobrindo e descobrindo. Transitar entre a superfície da tela e seu exterior. Contrastar, inverter traçados e preenchimentos. Deixar acontecer, parar, e aproveitar o olhar.
Ao final da composição lá estão constantemente as linhas. Para perceber as entrelinhas, como diz Clarice, há que distrair-se.

Karen Axelrud
Porto Alegre 2008

BETWEEN LINES

Reflecting about the last three years of my artistic production, I found out that between my working process and the work itself there’s something else. Parallel investigations trough materials and techniques, took my interest between thinking and working.
On his way my attention stopped in between lines. An elastic place, like a stop, to flow into rules. Justify my desire to work without frontiers (or barriers), without a project , without a specific end.
Allow this kind of structure is to multiply the mid field, amplify the space of investigation. Is where I find the possibility do come and go in this middle place where things happens.
It’s my time, where I change orders, decompose, compose, focus and deviate Putting layers one over the other, covering, discovering. Going trought canvas and it’s exterior. Contrast, changing from drawings to paitings. Letting it go, to stop and gaze it.
At the and of the composition you’ll constantly see the lines. To look at the between lines, you’ll have to amuse yourself.